• Vinícius Lucena

Na estreia do Sonofabit, Zeroquatro segue confrontando o capitalismo

“Eu tenho que exibir

A mais descolada atitude

Um homem sem atitude é um ser aleijado

É metade de um ser

É um ser condenado

Um homem sem atitude nada pode fazer”


“É um artifício narrativo. Criar um código pra mexer com os significados das palavras, eu substituí ‘dinheiro’ por ‘atitude’”, explica Fred Zeroquatro, membro-fundador do Mundo Livre SA e o cara que escreveu o primeiro Manifesto do Manguebeat. Embustation, do disco O outro mundo de Manuela Rosário (2004) é uma das muitas músicas na extensa discografia da banda em que a temática principal gira em torno dos assuntos que deram nome à banda: o neoliberalismo, o globalismo e as suas consequências na sociedade em seus diferentes estratos. Mas de cara, quando questionado sobre o tema, Zeroquatro lembrou de Embustation.

Pouco mais de 16 anos depois do lançamento dessa música e em meio ao furor causado pela sexta-feira de descontos mundo afora, o Sonofabit - projeto de Zeroquatro e P3dr0 Diniz (baixista na formação atual do Mundo Livre) - lança Black Friday, um single que faz, em vários sentidos, uma série de objeções à histeria que marca a fatídica data e às várias interferências que o capitalismo contemporâneo causa na produção musical.


Um instrumental suave que combina elementos do folk com inserções de metais e de sons eletrônicos acompanha uma letra (quase declamada por Zeroquatro) que explicita o elo entre as relações humanas e o consumismo ("Amor próprio em promoção”, “meu ideal liquidei no cheque”, “minha ambição parcelei em 100 vezes”). Fred, que assina a letra da música, também relaciona o consumismo exacerbado com um apelo midiático que aquece o mercado em dias como a black friday e questiona as contradições entre as abordagens da mídia "que noticia à conta-gotas a média móvel de mortos pela covid-19 e, minutos depois, anuncia o mega feirão promocional fazendo os centros de compras lotarem de combate à covid-19". Fred conta que o problema do consumismo em excesso não é novo, mas “se agravou de uns anos pra cá”. Entre Embustation e Black Friday, “tivemos um governo que se preocupava ao menos em inserir uma parcela maior de excluídos nesse mercado de consumo”. Mas essa mudança foi tão frágil que se desmanchou em poucos anos. “Hoje temos uma lógica de exclusão ainda mais forte; renda cada vez menor, menos direitos trabalhistas... e isso vai diminuindo o poder aquisitivo”, conta Zeroquatro.


“É quase um insulto a uma grande parcela da população. Gente que trabalha no almoço pra poder comprar o jantar. E não é só o consumo de bens de uso pessoal que está sendo negado à maioria da população, mas o consumo das coisas básicas”, emenda o vocalista do Sonofabit.

Foto: Priscilla Burh e Lu Ourique


Para além da letra contestadora, a nova do Sonofabit, também questiona o mercado fonográfico atual e a “era dos centavos” imposta pelos serviços de streaming. As recentes reconfigurações nas formas de se produzir, veicular e ouvir música, para Zeroquatro, acabaram por complicar ainda mais o trabalho de artistas e bandas, que com a desidratação das gravadoras - que “exerciam um papel hegemônico mas injetavam algum dinheiro” - viram-se imersos na lógica do streaming, que dá um ínfimo retorno financeiro e pouco investe na produção cultural.


“Desde que se criou o mp3 e os downloads gratuitos, a indústria fonográfica foi se desmontando. Hoje o músico não tem alternativa a não ser bancar todo o processo de produção do disco. As grandes plataformas de streaming têm receitas bilionárias, mas não injetam nada na cadeia produtiva da música”, explica Fred.


Black Friday é o primeiro de uma série de singles que serão lançados digitalmente e, depois, podem ser prensados em vinil. Fred explica que a opção por lançar as músicas de forma fracionada tem a ver com o formato mais enxuto ainda do projeto. "Enquanto o Mundo Livre trabalha com um conceito de lançar álbuns, porque tem uma linguagem diversificada, que aglutina muitos gêneros e referências, o Sonofabit tem uma coisa um pouco mais direcionada para formatos mais intimistas, reflexivos e tal, faz mais sentido você lançar uma sequência de singles".


No Sonofabit, há espaços para trabalhos mais experimentais e intimistas de Fred Zeroquatro e de P3dr0 Diniz.

A faixa de estreia, assinada por Zeroquatro e produzida por P3dr0, é resultado de um processo de criação à distância: uma parte foi gravada em Curitiba, a mixagem foi feita em PE, assim como a masterização (de Buguinha Dub). Quem assina a capa do single é de Jorge Du Peixe, vocalista da Nação Zumbi.







30 visualizações0 comentário

© revista gruvi. pernambuco, 2020
revistagruvi@gmail.com

Idealizada em 2020, a Gruvi é uma revista eletrônica sobre música pernambucana. Entrevistas, reportagens, resenhas e ensaios de produções relacionadas a PE.