• Heloise Barreiro

Em clipe, artistas pernambucanas celebram a força e beleza das mulheres negras



“Queremos que as pretas sintam prazer em serem representadas de uma forma confiante e forte”. Com esse desejo em mente, a cantora e compositora Surama Ramos se juntou a outras cinco artistas pernambucanas em um arranjo musical e visual para lembrar o Dia Internacional da Mulher Negra Latino-Americana e Caribenha (25 de julho). O vídeo conta com as vozes de Gabi da Pele Preta, Isadora Melo, Sue, Winnie Kássimo e da própria Surama. Além disso, a poderosa percussão de Aishá Lourenço também compõe a homenagem.


A data é também o dia de Tereza de Benguela, símbolo de resistência quilombola contra a escravidão no Brasil. Toda a potência desse dia será celebrada no clipe “Negra”, uma performance especial da composição de Iara Ferreira e Luís Barcelos para homenagear sambista Silvia Duffrayer. O lançamento será às 12h do sábado (25) no Instagram de cada integrante do projeto.


Devido a pandemia da Covid-19, tudo foi gravado remotamente e posteriormente mixado e editado por Henrique Albino. Apesar da dinâmica de isolamento social, Surama explica que o resultado foi positivo. “O desafio estava por equalizar as vozes que nunca trabalharam juntas, principalmente desenvolver o mesmo tipo de fraseado, de dinâmica e de expressão [...], entretanto, pela vasta experiência de cada uma foi possível vencer isso”, comenta.


Para Surama, o clipe é entendido como um presente a todas as mulheres negras que vão recebê-lo e a partir daí se entregar a “ momentos de arrepios, de prazer, de alimento as almas”. Para além de reflexão acerca de questões importantes, como representatividade, empoderamento, ancestralidade e colorismo, o som e as imagens do vídeo querem aguçar a subjetividade de cada uma que assiste. “Que durante a música elas possam, além de refletir, sambar conosco. Perceber que não estão sozinhas, pois a luta é de todas nós; juntas”, explica.


Conheça as artistas que compõem a iniciativa:


Surama Ramos (@surama.sh)


Graduada em Licenciatura em Música pela Universidade Federal de Pernambuco, Surama tem 31 anos e transita entre o canto lírico e popular. De Jaboatão dos Guararapes, a artista atua como solista em óperas, espetáculos e musicais, além de ter atuado como backing vocal de artistas como Elba Ramalho e Naná Vasconcelos. “SH!”, o seu primeiro disco em parceria com o companheiro Henrique Albino, está em processo de gravação.


Gabi da Pele Preta (@gabidapelepreta)


Gabi é cantora, compositora, arte-educadora e estudante de Comunicação Social e é uma das vozes da Reverbo. Na música desde 2006, já passou pelo Festival de Inverno de Garanhuns, Carnaval Multicultural do Recife, Aldeia do Velho Chico, Rec Beat além de outros festivais. O seu primeiro disco está previsto para ser lançado ainda este ano.


Aishá Lourenço (@aishaijexa)


Olindense, percussionista, ilustradora sonora e arte-educadora, Aishá estudou produção musical na Manchester MIDI School, na Inglaterra e atuou com diversos grupos locais, como Comadre Fulôzinha e Grupo Bongar. A artista também já fez colaborações internacionais e integra o projeto A Dita Curva.


Isadora Melo (@cadeisadora)


Cantora, atriz e compositora. A recifense reúne apresentações em palcos como Festival Contemporâneos, Festival de Inverno de Garanhuns, Itaú Cultural (SP), BNDES (RJ) e shows em países como Argentina, Portugal e França. Participou da série “Amorteamo" (Dir. Flávia Lacerda, Rede Globo, 2015) e em 2016 integrou o elenco de "Gabriela, um musical", de adaptação e direção de João Falcão, com quem também realizou o espetáculo musical "Dorinha, Meu Amor". Seu primeiro disco “Vestuário” foi lançado em 2016 e agora está preparando um novo disco "Anagrama”.


Winnie Kássimo (@kasswinnie)


Recifense, cantora, escritora, e analista de Recursos Humanos, Winnie está sempre consumindo cultura e estudando a relação entre cultura pop e vivência social. Colunista no Cattartese (www.cattartese.com.br).


Sue (@sue_oficial)


Professora, atriz, cantora e especialista em Cultura Pernambucana. Desde 2012, Sue atua em óperas e musicais e já foi premiada por sua performance. Também é solista e coralista no espetáculo “Cantos de Trabalho”, que já fez turnê na França e Suíça. Seu primeiro trabalho solo é um EP de produção independente, relançado recentemente encontra-se em todas as plataformas digitais.

21 visualizações0 comentário

© revista gruvi. pernambuco, 2020
revistagruvi@gmail.com

Idealizada em 2020, a Gruvi é uma revista eletrônica sobre música pernambucana. Entrevistas, reportagens, resenhas e ensaios de produções relacionadas a PE.