• Revista Gruvi

Clipes caseiros, indie reflexivo e manguebeat: confira os últimos lançamentos de setembro



Cinemascópcio, de Marcello Rangel (Clipe)

Depois de ter lançado, em 2019, "Quanto mais eu vou eu fico", seu álbum de estreia, Marcello Rangel lançou o primeiro videoclipe de uma música do disco. Trata-se de Cinemascópio, composta em colaboração com Juliano Holanda, Clara Torres, Isadora Melo e PC Silva.


O clipe evoca uma ambiência de reflexão e sensibilidade através da combinação com a sonoridade da canção e as imagens, fotografias que foram tornadas ainda mais intensas com as intervenções feitas pela artista visual Virgínia Di Lauro.



Ponto de Tangência – Lucas Torres (clipe)


“São turvas tuas águas, frias, escuras demais...” O álbum Signo Ser, do cantor Lucas Torres, lançado em 2018, é um grande mergulho em si, na mística do seu próprio corpo e do íntimo e, para coroar essas referências, o artista deu vida ao clipe da canção “Ponto de Tangência”.


Lançado nesta sexta-feira (25), o clipe foi gravado de forma caseira durante o período de isolamento social e produzido em parceria com a Alcalinas Brisadas. Os elementos místicos presentes no trabalho do artista pernambucano permanecem e também aparecem no vídeo.


“Depois de um dia triste, não queria entender muita coisa. "E por falar que os dias vão melhorar..", eles não melhoram do nada. Pela primeira vez na vida, contraí catapora. Sim, aquelas bolhas por todo o corpo. Não há quem passe ileso em dias de chuva no Recife e seus ônibus lotados. Fora o assalto na ponte da capunga, Catapora foi o de menos. Mas foi o ponto final. Pedi demissão, voltei à Goiana, tomei um porre com amigos na praça. Passei muito mal e me senti vivo. "Ressuscitando duas, três, ou talvez vezes demais. Por enquanto acreditando que há como ser, ou como dar, errado.." Quantas vezes morremos e ressuscitamos nesta vida? Quantas vezes, quando tudo dá errado, conseguimos nos impulsionar para fora do poço? E renasci novamente.”, escreveu o artista em uma publicação no seu Instagram ao compartilhar o processo de criação da música.

Vivemos dias que pedem força e coragem para o recomeço, precisamos encontrar o nosso Ponto de Tangência e em sua composição Lucas Torres nos oferece inspiração e luz para esse processo, vale a pena conferir!



Hibakusha, de Sargaço Nightclub (Clipe)

Em um ritmo frenético de lançamentos, o duo de indie rock Sargaço Nightclub lança mais uma novidade: o clipe de Hibakusha, single do recém lançado Istmo. O vídeo foi filmado em diversas locações pernambucanas, e dirigido por Douglas Santos.

O clipe alterna imagens da atriz Hermila Guedes numa performance de dança com as cenas de Tereza Mitsunaga, que encena uma hibakusha - ou seja, sobrevivente das bombas atômicas lançadas sobre Hiroshima e Nagasaki, no final da Segunda Guerra Mundial. As influências japonesas também atravessam a canção, representada pelas percussões orientais e ambiências típicas do new age japonês.

Ainda, o vídeo traz imagens de Sofia França e Marcelo Rêgo, que formam o duo, reforçando o conflito de esperança e destruição que o clipe carrega. Em meio ao cenário de oscilação, a visão da gravidez de Sofia é mais um sinal de paz na narrativa.

Confira o clipe:



Crua, de Bella Kahun (Álbum)


A cantora e compositora garanhuense Bella Kahun lançou Crua, álbum produzido por Mazili e lançado pelo seu selo, o PE SQUAD. Ao longo das dez faixas que compõem a produção, a estreante se mostra visceral, fazendo jus ao título do disco. Junto com o lançamento do álbum, foram lançados três videoclipes. Dois deles (Sorte e Boêmia) já estão disponíveis no YouTube. No canal do selo também está disponível um mini documentário com os bastidores da produção do álbum.



Três e Três, de Luamarte (Single)


O duo Luamarte, formado pelos cantores e compositores Joyce e Afonso Santti, lançou Três e Três, single já disponível nas plataformas digitais. “Eu procurei nessas canções de amor alguma coisa que pareça com nós dois. E em cada verso desse tempo meu, as entrelinhas falam um tanto de você”. Nos primeiros versos da canção, marcados pelo ideário do amor e da pessoa amada, já é possível sentir os passos que prosseguem o refrão.


A construção da melodia musical vai gradualmente se articulando entre batidas e sintetizadores que se unem de maneira muito agradável ao teclado, guitarra, violão e, de forma mais marcante, à bateria. O single conta com produção musical de Jeff Pinas, também responsável por introduz o beat eletrônico e sintetizador na canção. Três e Três chega para dar continuidade ao projeto artístico do duo, em constante crescimento, também a cargo de transportar ainda mais a singularidade da música pernambucana Brasil afora.



Fuga no Fugazzi – NexoAnexo (Clipe)


O rapper recifense NexoAnexo lançou, nesta sexta-feira (25), o clipe “Fuga no Fugazzi”. No melhor estilo trapper, tanto a produção audiovisual, executava pela produtora Hoodcave, quanto a canção expõem o hype e a ostentação do Rap com sonoridades que dialogam com a música eletrônica e pop.


Também neste mês, o artista disponibilizou, em seu canal do YouTube, o álbum Trap From Future, lançado em março de 2020 em outras plataformas de streaming. Morador da Zona Norte de Recife, NexoAnexo integra um grande time de artistas que têm feito sucesso e contribuído para o crescimento do Trap em Pernambuco. Entre os rappers que integram essa cena e, assim como NexoAnexo, são agenciados pela HoodCave, estão: JOMA, Rudah e Ororo.


Cassio Oli - Salvador de Araque (Clipe)


O cantor e compositor pernambucano Cassio Oli lançou, em seu Instagram, o clipe da música Salvador de Araque. Com uma letra que fala sobre a hipocrisia e a mentiras do cidadão e imagens de Jair Bolsonaro, Oli provoca e denuncia o governo fascista do atual presidente do Brasil.


Cassio Oli é um artista da cidade de Igarassu que teve sua formação musical em contato com bandas marciais e também traz influências do Rock e do Manguebeat em suas composições. Suas produções caseiras e independentes apresentam uma sonoridade marcante e singular e Salvador de Iraque é prova disso.



50 visualizações0 comentário