• Revista Gruvi

Caos, mar e contrariedades: confira os lançamentos dos últimos quinze dias

Atualizado: 19 de Dez de 2020



De Dentro Pra Fora, de Dani Carmesim


A cantora e compositora recifense Dani Carmesim adianta mais um single de seu álbum que será lançado em 2021. ‘De Dentro Pra Fora’ vem com tons de Tame Impala, Depeche Mode e Talking Heads numa sinergia disco dançante e poderosa, alimentada pela mágica dos sintetizadores.


A letra da canção tem a cara das demais já apresentadas pela compositora, sempre sinceras, realistas, viscerais e até autobiográficas. Na mesma vibe do EP ‘Tratamento de Choque’, a música parece versar sobre uma relação ambígua e venosa, seja com um indivíduo ou com a sociedade em geral, que insiste em fazer juízos de valores de forma cíclica e desgastante. De dentro pra fora / Nas suas veias / O veneno se espalha / Você se deleita / Eu sou tudo o que você mais ama e odeia”.


O álbum completo, incluindo o single mais recente, está sendo gravado de forma independente na Home Studio Área 51, em conjunto com os músicos Fernando S., que ficou responsável pela produção, guitarra e sintetizadores; André Insurgente no baixo e Thiago Marditu na bateria. A arte da capa do single foi assinada e protagonizada pelo artista plástico Vinicius (@vinicus65).



Brincar de Mar, do Coletivo Canela


Diretamente da Praia de Candeias, o Coletivo Canela lança o single de estreia “Brincar de Mar”, uma canção que reflete sobre o imaginário de uma criança sertaneja que nunca viu o mar. A faixa deve fazer parte do primeiro disco do quarteto pernambucano, formado por Zuza, Renan Castro, Alexandre Zezo e Thiko Duarte.


“Fez um brinquedo de osso de carcaça/ e o mergulhou / como quem faz nadar”. Os versos, explica Thiko Duarte, são inspirados em uma fotografia de uma criança que tomava banho de bacia. "A criança na bacia não saía da minha cabeça e quando eu estava tomando banho de mar, fiquei refletindo sobre os reféns da seca e imaginando um diálogo entre mãe e seu filho”, contou.


O trabalho inicial do grupo flerta com o indie rock, e também traz inspirações de clássicos como Chico César, Alceu Valença, Lenine e Tom Zé. Sólida e com os melhores aspectos herdados do MPB em conjunto com a canção popular nordestina, “Brincar de Mar” foi uma inauguração de sucesso que logo aciona em quem ouve as referências musicais, além de instaurar sentimentos de calmaria e simplicidade.


A produção musical é assinada por Samico, que já produziu nomes como Lia de Itamaracá, Lula Queiroga e Marsa.


Querido caos, de Igor de Carvalho


"Querido caos," EP lançado por Igor de Carvalho é mais um retrato das inquietações humanas que surgem num momento complexo como a pandemia. Desses conflitos internos, Igor tira quatro canções que, juntas, podem transportar o ouvinte em direção a um ambiente contemplativo, melancólico. O amor, bem como as desilusões amorosas.; o ódio e a esperança estão entre os sentimentos que sintetizam a ideia do mais novo trabalho de Igor.


As canções em "Querido caos," parecem organizadas de modo a formar uma sequência narrativa que começa com a melancolia de "Você se foi", e encerra com uma guinada em direção a novas direções, com a faixa 'Exilir". Destaque para a participação de Alice Caymmi, em "Com todo meu amor". As sonoridades exploradas no EP vão do samba ao rockabilly (na música 'Fúria'), passam pelo fado e flertam com outros gêneros.


O EP conta com a produção musical de Rogério Samico, também responsável pelos arranjos, também idealizados pelo maestro e multi-instrumentista Henrique Albino. Quem assina a arte da capa é o artista visual Thiago Liberdade.




Carne dos Deuses, de Barro e Ubunto (Single)


Reafirmando a sua potência na música pop, o artista pernambucano Barro, lançou o single “Carne dos Deuses”, em parceria com o cantor Ubunto.

A canção mistura ritmos dançantes da música brasileira como Axé Music e os tambores vibrantes do Ijexá baiano. O resultado é uma canção carregada de alto astral com letra e melodia que nos remetem ao verão tropical, perfeita para dançar na sala de casa ou curtir em frente ao mar!




Desfibrilador, de Matheus de Bezerra (Single)


Com a alma de quem consegue revelar seu estado de espírito através da música, Matheus de Bezerra lançou "Desfibrilador", faixa que diz muito sobre o seu momento artístico e coloca em evidencia os contratempos internos da pressa para chegar a algum lugar. A produção antecede seu próximo trabalho autoral, um álbum que deve ser lançado em breve, com canções e produção integralmente independentes.


A melodia monótona do violão e a calma tão buscada na suavidade da voz de Bezerra são aspectos que colocam em contradição os conflitos momentâneos do que é cantado. "Eu tô precisando comprar um desfibrilador e um pacote de lenço. Penso que estou indo longe demais, mas vejo que ainda estou no mesmo lugar".


A produção da música conta com as colaborações de Guga Fonseca e de Emerson Andrade, esse último do Móbile Studio. A faixa tem letra simples, mas tão custosa como um desfibrilador, e já está disponível nas principais plataformas digitais.




Sangue de Pobre, de QLB URBN, Daniel Storm e MC Pito (Clipe)


"Sai da frente, que os menor tão vindo caliente. Os neurônios com entorpecente ativando o ódio da mente, sente". Rima de luxo para quem denuncia a realidade na periferia pernambucana através da arte. Com esses ditos, o Quilombo Urbano, em parceria com Daniel Storm e MC Pito, lançou "Sangue de Pobre", música que trata das intransigências do sistema capitalista, racista e classista, alimentado pela prática acelerada do extermínio da população pobre.


O som descompassado conta com direção audiovisual e roteiro do Culture Mangue. O videoclipe traz uma composição entre letras realísticas junto ao cenário de amontoados, que serve de palco para embasar o caos das rachaduras estruturais.





Você Mulher, de Juvenil Silva (Single)


Com uma vibe nostálgica, Juvenil Silva lança o single de Você Mulher, som que antecipa o seu novo EP, Lonjura, previsto para o início de 2021. O disco se baseia em faixas que estão sendo gravadas à distância, com diversos músicos de vários lugares do Brasil e do mundo.


Depois de trazer um comentário mais ácido com Regalia, lançado em Outubro, Juvenil traz em Você Mulher uma canção de amor na quarentena. “Escolhi uma canção assim, com uma temática mais leve, propositalmente como contraponto de um ano tão difícil. Assim como 2020, também foram minhas demais composições feitas neste ano: abordando temas bem tensos. Apesar de não ter sido fácil também para o amor, em tempos de pandemia, amar ainda é a melhor solução", reflete o músico.


Você Mulher soa com um power pop setentista, com ares de George Harrison, Big Star, Badfinger. Com destaque para a slide guitar, gravada diretamente de Londres pelo músico Marcos Gonzatto, ex-Faichecleres, banda de Curitiba (PR) bastante popular na Era MTV Brasil.



Luzia, de TAUÃ (Single)


Para abrir o novo projeto, o cantor, compositor e poeta pernambucano Tauã lançou o single Luzia. A faixa abre a sequencia de lançamentos pra o novo álbum 333, que chegará ao público através do selo Cantores del Mundo.


O som, que inaugura a nova fase, tem inspiração no fóssil humano mais antigo da América Latina. As fotos e o conceito do single foram concebidas na Chapada Diamantina, na Bahia. A mixagem foi feita por Klaus Sena e a masterização por Buguinha Dub.


“Luzia traz, de forma poética, uma trajetória temporal e geográfica simbólica, por perdurar no tempo. Eu a compus pensando em 3 atos: primeiramente esse vislumbre de um passado distante, de mais de 10 mil anos atrás, numa perspectiva andarilha, inclusive citando línguas extintas; por seguinte, o momento em que são encontrados alguns restos fósseis dela no interior de Minas Gerais, iniciando uma polêmica reflexão identitária e, por fim, ela sendo cremada em pleno Museu Nacional do Rio de Janeiro.”, pontua TAUÃ.


A canção traz na pegada elementos do samba e do rock psicodélico, em diálogo com uma letra que passa pelo objeto da ancestralidade. "Ia vindo e seduzia / Tão cedo / Luzia / Às cinco e doze da manhã", canta o verso de abertura.



39 visualizações0 comentário